Descoberto novo planeta que pode abrigar vida

A última edição da revista “Nature” apresenta a descoberta de LHS 1140b, um planeta que circunda a estrela LHS 1140, na constelação de Cetus, a 39 anos-luz de distância do nosso Sistema Solar, e apresenta características que o tornam um forte candidato para que os cientistas o explorem mais detalhadamente atrás de evidências de vida extraterrestre.

A órbita do planeta é vista praticamente de perfil aqui da Terra e os cientistas são capazes de analisar detalhes de sua composição quando ele passa em frente à LHS1140, bloqueando um pouco de sua luz, o que acontece a cada 25 dias.

Para a existência de vida da forma como nós a conhecemos, um planeta deve ter água líquida na superfície e manter uma atmosfera. O planeta LHS1140b está no meio da chamada “zona habitável” de sua estrela, onde é possível existir água líquida.

Ilustração mostra a estrela LHS 1140 e seu exoplaneta LHS 1140b (Foto: M. Weiss/CfA)

A LHS 1140 é uma anã vermelha, menor e mais fria do que o nosso Sol. Assim, embora o LHS 1140b esteja dez vezes mais próximo da sua estrela do que a Terra do Sol, ele recebe apenas metade da luz solar que recebemos aqui. Quando estrelas vermelhas anãs são jovens, elas emitem uma radiação que pode ser prejudicial para as atmosferas dos planetas que as orbitam. Mas, no caso da LHS1140, sua radiação é menor que a de outras estrelas de pouca massa.

Maior que a Terra

Os astrônomos estimam que a idade do planeta deve ser de pelo menos 5 bilhões de anos. Eles também concluíram que ele tem um diâmetro 1,4 vez maior do que o da Terra – quase 18 mil quilômetros. Mas com uma massa em torno de sete vezes maior que a Terra e, portanto, uma densidade muito maior, isso implica que o exoplaneta é provavelmente feito de rocha, com um núcleo de denso de ferro.

LHS 1140b orbitando LHS 1140
LHS 1140b orbitando LHS 1140

O tamanho grande do planeta significa que ele pode ter tido um oceano de magma fervente em sua superfície por milhões de anos. Este mar fervente de lava poderia produzir vapor para a atmosfera muito tempo depois que a estrela perdeu brilho, reabastecendo a superfície do planeta com água.

Para os autores, esta super-Terra pode ser o melhor candidato para futuras observações para estudar e caracterizar sua atmosfera, se ela de fato existir. “É o exoplaneta mais emocionante que vi na última década,” disse o autor principal Jason Dittmann do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica. “Dificilmente poderíamos esperar um alvo melhor para realizar uma das maiores procuras da ciência – buscar evidências de vida além da Terra”.

“As condições atuais da anã vermelha são particularmente favoráveis – a LHS 1140 gira mais lentamente e emite menos radiação de alta energia do que outras estrelas similares de baixa massa”, explica outro membro da equipe, Nicola Astudillo-Defru, do Observatório de Genebra, na Suíça.

Fonte: Revista Nature

Os melhores documentários sobre a ciência e o espaço

Ao contrário de muitos programas de TV, geralmente voltados apenas para entretenimento, alguns periódicos surgiram com excelente conteúdo que transformam a vida e incentivam a nossa busca de conhecimento.

Desde o início deste século, a ciência (especialmente a espacial), tornou-se um tema favorito para os produtores por causa do crescente interesse e curiosidade entre as pessoas para conhecer a realidade.

Documentários excelentes foram produzidos nos anos recentes. Veja abaixo algumas indicações de séries espaciais e documentários fará você desenvolver um forte interesse na ciência e no espaço.

Cosmos: Uma odisseia no espaço-tempo (2014)

A série é um remake de um popular programa de TV ” Cosmos: A Personal Voyage ”, que foi transmitido em 1980. Esta adaptação moderna obteve uma classificação de 9,4 em 10 nas métricas da IMDB .

O show é apresentado pelo astrofísico Neil deGrasse Tyson, que, como um jovem estudante do ensino médio, foi inspirado por Carl Sagan.

Consiste em 13 episódios surpreendentes (tempo apróximadamente de 40 a 45 minutos). Se você está interessado em Espaço e Aprendizagem Ciência, eu recomendo fortemente assistir a temporada inteira.

A série está disponível no Netflix, você pode assistir através deste link: http://www.netflix.com/search/cos?jbv=80004448&jbp=0&jbr=0

O documentário de ficção científica foi ao ar em 09 de março de 2014, estreou na rede Fox e no canal National Geographic. Desde então, a data de lançamento para a segunda temporada não foi confirmada.

Veja também: Segunda temporada de “Cosmos” prevista para 2017?

Além do Cosmos – Mecânica Quântica (2011)

Essa é mais uma série de documentários que descorem sobre as descobertas fantásticas feitas pelos físicos, cosmólogos, e pesquisadores das micropartículas.

Esses que são os cientistas mais inteligentes, de QI mais alto em toda a classe científica foram obrigados a admitir que os ocultistas os paranormais e psíquicos de todos os tempos estavam certos, existem sim universos paralelos, e dali que vem as almas desencarnadas, é dali que vem os “Deuses” e demônios míticos, e ali que estão os chakras, a consciência, e os poderes da mente.

Eles estão tendo de lidar com a oposição de seus colegas de outras áreas cientificas, que possuindo QI bem mais baixo, sendo pessoas muito mais limitadas, acabam por não entender nada.

Através do “buraco de minhoca” por Morgan Freeman (2010)

Através do “buraco de minhoca” irá explorar os mistérios mais profundos da existência até as perguntas que têm intrigado a humanidade para a eternidade. De que somos feitos? O que havia antes do começo? Estamos realmente sozinhos? Existe um criador? Essas perguntas foram ponderadas pelas mentes mais requintadas da raça humana.

Agora, a ciência evoluiu para o ponto em que fatos e evidências concretas podem ser capazes de nos fornecer respostas em vez de teorias filosóficas. Através do “buraco de minhoca” reunirá as mentes mais brilhantes e as melhores idéias (dos limites da ciência, astrofísica, quântica, teoria das cordas e muito mais) para revelar a verdade extraordinária do nosso Universo.

Através do “buraco de minhoca” é uma série documental de ciência norte-americana narrada e pelo ator americano Morgan Freeman. Sua primeira exibição foi nos Estados Unidos em 9 de junho de 2010.

Viagem aos limites do Universo (2008)

Viagem aos limites do Universo é um documentário transmitido pela National Geographic e pela Discovery Channel. Ele documenta uma viagem espacial da Terra para a borda do próprio universo . A edição americana foi narrada por Alec Baldwin e a edição britânica de Sean Pertwee.

No documentário é possível entender o que acontece nos limites do universo observável. A viagem parte da terra e continuará por todo o universo conhecido.

O documentário tem 91 minutos e foi transmitido em 7 de dezembro de 2008.